Notícias e Dicas

Segurança do Paciente - Cada um fazendo a sua parte, todos ficam mais seguros

Segunda, 04 Janeiro 2021

 

Desde o início de 2020, a pandemia do COVID-19 mudou drasticamente os processos de saúde em todo o mundo. Principalmente no que diz respeito às medidas de segurança do paciente.

Para minimizar o impacto gerado por esta doença, foi necessário desenvolver protocolos muito mais rígidos. E eles devem ser aplicados não apenas no contexto do próprio coronavírus, mas também com relação a vários outros procedimentos, como cirurgias e mesmo atendimentos de rotina.

A boa notícia é que, com um pouco de cooperação entre os profissionais de saúde e os pacientes, é possível manter esses cenários sob controle, mesmo em uma época de pandemia. É tudo uma questão de fazer a sua parte.

Redução dos riscos de infecção

O mais importante para a segurança do paciente nesse momento é garantir que o risco de que a doença se espalhe pelo hospital seja mínimo. Por isso que há tanto preparo na hora de lidar com os pacientes, especialmente com o uso de roupas de proteção e procedimentos de desinfecção. Se houver algum caso de reinfecção no hospital, é sinal de que todos precisam ter mais atenção a estes detalhes.

Higienização adequada

Para evitar a transmissão, é necessário ter cuidado redobrado com a higienização de mãos, roupas, objetos e ambientes. Vários micro-organismos podem sobreviver nessas superfícies por dias ou até meses. Em áreas com alta circulação de pessoas, é importante fazer a devida limpeza, usando álcool e outros produtos adequados para a remoção de germes. O mesmo se aplica a roupas usadas durante os procedimentos e higienização das mãos.

Preparo e planejamento cirúrgico

Procedimentos cirúrgicos já envolvem um grau considerável de riscos, sendo necessário implementar várias medidas de proteção. Porém, durante um período de pandemia, elas podem apresentar um risco ainda mais para a segurança do paciente.

Primeiramente, é necessário redobrar os cuidados com higienização do ambiente e das ferramentas usados. Além disso, é necessário tomar cuidados extras com o planejamento, incluindo o caminho entre o quarto do paciente e a sala de cirurgia, como ele será executado e o que fazer em caso de emergência.

Atenção a sintomas e reações adversas

Mesmo tomando todos os devidos cuidados, o hospital ainda deve ficar atento a sinais de possíveis infecções e doenças, especialmente reações adversas a medicamentos. Quando o paciente demonstra algum sintoma inesperado, pode ser que ele tenha sofrido com alguma complicação ou que tenha desenvolvido alguma nova doença durante seus atendimentos.

Educação do paciente

Por fim, mas não menos importante, os profissionais de saúde não são os únicos responsáveis pela segurança do paciente. Na realidade, o próprio indivíduo possui muito mais responsabilidade na hora de evitar infecções, pois ele mesmo decide quando e o quanto está se expondo a possíveis patógenos.

A solução aqui é promover a melhor educação desse público, com materiais informativos que os ajudem a tomar as melhores decisões possíveis dentro de cada contexto. A médio e longo prazo, a ajuda dessas pessoas é muito mais efetiva para evitar que doenças se proliferem.

O Hospital Vale do Araguaia está iniciando o processo de implantação das ações referentes à redução do risco de dano no cuidado com a saúde dos pacientes.

Quer continuar recebendo mais de nossas informações? Então assine nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossas novidades.